terça-feira, 3 de dezembro de 2013

por aí.

retratos da alma  - http://retratosdaalma.com.br/


Se me vires por aí chorando
não te canses nem amanses
são lágrimas de águas
que escorrem límpidas..

Se minhas mãos te tocarem
suavemente,
deixa arrepiar tua alma
a despertar teu desejo..

Escrevo e versejo
lembranças e esperanças
para te falar de luz,
de braços de amar..

Pois é assim o sonho
a vontade do corpo
o infinito na miragem
que deixa  rimas pelo chão..

Lança-te ao ar revolto
sem rodeio ou fracasso
e teu infinito
vai contar-te da solidão..


Ing

postado originalmente em Retratos da Alma

8 comentários:

Artes e escritas disse...

Poemas bonitos nascem ao silêncio, bonito poema. Um abraço, Yayá.

Rô... disse...

oi minha amiga,

a esperança em braços amorosos,
nos coloca em dia com o coração...

lindo poema!!!

beijinhos

Anne Lieri disse...

Mas que lindo poema,Ingrid! Adorei te ler! bjs,

Assis Freitas disse...

se vires
não te vires


beijo

ॐ Shirley ॐ disse...

Gostei de imaginar as rimas pelo chão, Ingrid...Beijos!

Nilson Barcelli disse...

Os teus poemas falam sempre.
E este fala de luz, de braços, de amor...
Magnífico poema, gostei muito.
Ingrid, tem um bom fim de semana.
Beijinhos.

Cidinha disse...

Olá, Ingrid. boa tarde e bom domingo! Belissimo! Gostei e deixei me levar pela imaginação. Perfeito querida! bjos perfumados e muito carinho.

AC disse...

Tão suave e, em simultâneo, tão intenso!
Ingrid, é tão bom partilhar a tua sensibilidade. Muito grato.

Beijo :)