domingo, 22 de maio de 2016

A minha luz.

Internet - Animati


Nua - sigo sem palavras
buscando onde me perdi...
Em becos... em abandono?
busco sons - gritos...

Busco luz e levo somente
as mãos...
Trilha escura - pés descalços
que devora e entontece.
Um querer inútil...

Ing

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Para viver.

Internet - Fusarca 7


Um dia que sinto - são imagens perdidas
horas de longos devaneios
sem sentido - talvez interiorizados
na escolha do que levar adiante...

Meu tempo passa - leva-me muito
do desejo, da leveza...

Decidir - seguir apenas na luz...
Voltar - olhar a melancolia...
Idos prazeres que coleciono
à mão cheia - em lágrimas...

Ah, se a vida entendesse...
e deixasse por terra toda dor...

Ing

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Antologia Casa da Poesia

Pois é amigos, o nosso querido Renato, que foi recentemente agraciado com uma cadeira na Academia de Letras do Brasil, nos presenteou com esta bela Antologia...

Inesquecível!
Eternizados momentos.
Palavras agora somente para agradecer!

Desfrutem...

Forte abraço!

http://www.youblisher.com/p/1273805-Antologia-Poetica-da-Casa-da-Poesia-2015/

domingo, 11 de outubro de 2015

Breve cântico de arrepio.


Deixa que teu desejo te leve
que o pudor se vá!
Domina tua sede e abre tua pele
na vergonha do sentir...
Te abandona...

Baixa o olhar e segue...

Não olha para trás
não grita tua angústia...
Escorre pelos dedos teu suor
de sangue - dor!
Te entrega...

Baixa o olhar e segue...

Leva contigo tua alma
tua dor - teu castigo!
Mata tua sede
de sangue e pele...
Segue!

Ing

sábado, 26 de setembro de 2015

Para pele e escuridão.

                                                                                   Imagem Internet - pintura a óleo de Consales Rodrigues - Mulher

Percorres a pele que escorre pelos - sem apelo
cada curva sinuosa insinua e chama...
Tua vontade - se entrega nas pontas dos dedos...

Um olhar jogado em cabelos escondidos
mostra a nuca contorcida - ansiosa
onde a marca de dentes arranca a veia vermelha...

Um rosto escondido - disforme?
Sim. Na nudez sem pudor de linhas,
no som de arranhar das unhas longas...

Ventre curvado - sugado
lambido e colorido
queimado sem o fogo do gemido...

Basta... Chegaste ao final da pele!
Último toque de poro e unha
de grito engasgado - sem dor...

Ing.

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Por uma vida.

Mulher por Maurício Bastos



No andar de uma vida incerta
um sopro de calor aquece a alma
molha desejos obscenos - plenos e intensos...
É um ardor que escorre cálido - lembra chuva morna
e se esvai em becos de dor, de escuridão...

O querer machuca a alma...
À distância - tão sem horizonte -
gemidos não ouvidos são tempos de luz
são linhas retas,sem rima ou poesia...

Ing

terça-feira, 18 de agosto de 2015

10 Pena de Ouro do Ostra da Poesia





Amigos,

Nesta linda festa vimos todos juntos!
Poetas e poetizas a amenizarem e alegrarem um espaço todo especial.
Nossa linda Sereia Lindalva nos proporciona todo ano esta confraternização de letras, sentimentos
e carinho.

Agradeço muito aos colegas ter chegado assim tão longe.

Tudo sempre vale a pena quando nos permitimos explorar nossos dons.
Para descobri-los, basta começar!

Deixo meu abraço e beijos!

Visitem nossa festa e divirtam-se!


http://ostra-da-poesia-as-perolas.blogspot.com.br/

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

10 Pena de Ouro - Ostra da Poesia

Gente!
Cheguei à final!
Que gostoso poder participar!

Vamos votar amigos blogueiros?



O link da linda Sereia:

http://ostra-da-poesia-as-perolas.blogspot.com.br/


Agradeço o carinho!
beijos.

sábado, 4 de julho de 2015

Meu tempo.


Blog Fuzarca - desconheço autoria

Fale do tempo
ouça do tempo
e dele não vivas...

Corre pelas veias
 o calor do tempo
que o amor deixou
- em minhas memórias
de pele a de alma...
Correu célere
me abandonou
sem arder - sem afoguear...

Não pensa no tempo
nem vive no querer
o horizonte é maior
puxa-te sem dor
e vive sem ti...

Ing



sexta-feira, 3 de julho de 2015

Alforria.

Internet - desconheço autoria


Em tempos de alforria
em tantas almas se via
na leveza da pele alva
uma estranha alegria...

É como se um vento
elevasse o corpo
para que o tempo
fosse o alento...

Na mão do teu encanto
toda uma vida corria
e deitada - envolta se via
escondida de si em cada canto...

E a prece - fixa à parede
esconde o real amor...
Em tanta distância e frescor
leva longe a dor...

Ing