domingo, 1 de outubro de 2017

Sinto falta de mim, em mim.





Olá,

Sabe que neste findar de Setembro, poderia te dizer de tudo o que passou.
Do que não foi dito ou sentido.
Mas, com a chegada da primavera sei que haverá alguma renovação, mesmo que seja clichê.

Sigo sentindo as mudanças que inevitavelmente aconteceram - que nos levaram por caminhos tão diversos e distantes.
Pensar em ser nostálgica não vai preencher o vazio em que eventualmente me perco. Sem saber se sigo ou se paro por aqui.

Busco em mim mesma aquela que cruzou um caminhar novo, e sem medo, seguiu por veredas desconhecidas e surpreendentes.
Descobriu tanta pele, dor, e um especial brilho no olhar...

Se quero este brilho de volta? Não tenho esta resposta. Penso que não mais.
E, na falta de espaço em mim, me despeço.

Espero que estas curtas linhas possam expressar o tanto que o tempo - infindo e insubstituível -  deixou marcas indeléveis na alma. 

Deixo um carinho.

I.




“Chegue bem perto de mim.
Me olhe, me toque, me diga qualquer coisa.
Ou não diga nada, mas chegue mais perto.
Não seja idiota, não deixe isso se perder, virar poeira, virar nada.”

Caio Fernando Abreu.


Projeto Missivas de Primavera
Scenarium Plural - semana 4

Um comentário:

Eros disse...

Contudo, estas palavras revelam muito de ti, em ti.

Beijos, minha amiga!