quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

.momentos.

Internet


Carrego cores de tanto sentir
sinto dores de tanto amar..

Alegrias.. são momentos
e cada um é eterno..
Nesta eternidade vivo
sempre próxima do desejo..

Apresso-me pelo amanhã
no despertar incerto
onde o canto ecoa
trazendo de volta o tempo..

São pequenos gestos
um olhar despretensioso..
O calor de lábios leves
cheios e silenciosos..

Na noite quieta e quente
sinto um amar de eternamente..

Ing

23 comentários:

mEu munDinHo LoUcO disse...

O que comentar num poema tão edificante que nem esse ?!Lindo demais!!!!

Beijos, Elaine

Rô... disse...

oi minha linda,


suas palavras sempre exalam,
o doce e delicioso
perfume do amor...
muito lindo!!!

beijinhos

ZilMar disse...

oi Ingrid...

seu poema é um doce sentimento do eternamente sentir....


meu abraço...


Zil

Mário Bróis - Poeta disse...

- Ingrid, sua passagem pelo meu blogger, além de perfumado fica iluminado. Peço desculpas pela demora de vir aqui, mas o tempo; de vez em quando temos que desafia-lo principalmente se for para vir aqui, e ao vir, me deparo com o que mais me alimenta neste universo, versos, de fato versos de deixar qualquer fragrância em rodopio, girando feito tornado, e no girar o espalhar de versos feito a beleza do universo: "Alegrias...são momentos/sempre próximo do desejo" com estes versos em punho serei um geurreiro templário, a protegê-los. Beijos de aroma porético. Mário Bróis.

A.S. disse...

Momentos de amor, que permanecem plenos de desejo, ânsias de prazer...


Beijos!
AL

Escondidinha disse...

vi que passou no meu blog e vim retribuir o carinho.

levo comigo uma frase que achei inteira mas prometo deixar os devidos créditod para o seu blog.

beijinhos

ॐ Shirley ॐ disse...

Lindo poema, Ingrid. Gostei muito mesmo. Beijos carinhosos!

Agência PSD Designer Ltda. disse...

Gostei do blog, to seguindo, siga-me

participe do nosso sistema todos divulgando todos! veja em meu blog

www.psddesigner.blogspot.com

Obrigado!

Sonhadora disse...

Minha querida

O tempo passa e fica uma recordação quieta e quente dos sonhos que de nós se perderam.
Como sempre adorei e deixo um beijinho com carinho.

Sonhadora

Cidinha disse...

Oi, Ingrid. Doces versos! Eterno sentir. Bjos carinhosos e perfumados pra ti amiga!

Agência PSD Designer Ltda. disse...

Agradeço também se não for pedir demais retribuir o seguir, agradeço!

Assis Freitas disse...

suavemente no etéreo desdobrar-se do silencio,


beijo

Jorge Pimenta disse...

a eternidade dos momentos é a certeza dos lábios sempre vivos e quentes em qualquer das estações.
beijinho, querida ingrid!

Bemsei disse...

Lindo por demais..
BS

Van disse...

Oi Ingrid,

achei isso tão significativo, tão íntimo do que sinto, "carrego cores de tanto sentir".

Um beijo, querida

Moita disse...

Poeta que se ature
inventa o sonho moderno;
o amor será eterno
até e enquanto dure.
Busco a “meizinha” que cure
sem provocar muita dor.
Já me disse um professor,
ensinando tudo errado,
ou será que é acertado?
O próximo é o melhor amor.

Ingride, te adoro.

Arnoldo Pimentel disse...

Alegrias e dores estarão sempre em nossas vidas.Lindo poema, beijos

Francy´s Oliva disse...

Os pequenos gestos nem sempre são pequenos, muitas vezes se tornam tão imensos que não da para expressar em palavras.

Nilson Barcelli disse...

Quando o amor é verdadeiro, ele é eterno. Pelo menos naquela altura, porque depois pode não ser bem assim...
O que é eterna é a beleza da tua poesia. Este poema é magnífico. Gostei imenso.
Ingrid, querida amiga poeta, desejo que tenhas uma boa semana.
Beijo.

Sandra Botelho disse...

Quanta doçura flor...
O amor se é verdadeiro é um despertar pra felicidade. Bjos achocolatados e uma linda semana

✿ chica disse...

Sempre maravilhosas tuas poesias! beijos, linda semana,chica

Incógnita disse...

está mesmo lindo!

Maria Luisa Adães disse...

Ing

Belo o que escreves,
de uma sensualidade ardente...

Te telefonei sábado, mas ninguém atendeu e antes foi impossível, para descobrir o erro do número.

Mas hoje, já estou em Portugal!

Talvez haja uma próxima oportunidade a não perder.

Beijos querida,

Mª. Luísa