quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

janelas abertas de canto ao emudecer..

Internet


Sumimos de nós mesmos
esquecemos da alma que vive
nos perdemos no tempo..

Sem saber como e quando
retornamos e,
sem um porque ou onde
retomamos..

É busca incessante de rumo,
de querer e sentir..

Não sei de respostas
nem de procuras..
tampouco de amores,
que fogem e emudecem..

Abrindo espaços
esquecer do corpo
em uma dança frenética
de encantar a noite..

Ing

20 comentários:

Arnoldo Pimentel disse...

Fugim os talvez para nos encontrar.Lindo poema, beijos.Saudades.

Rô... disse...

oi Ing,

tem coisas querida,
que não precisamos mesmo saber,
apenas sentir...
adorei o poema me fez sentir!!!

beijinhos

Bia Hain disse...

Lindo poema...para que procurar respostas? Sentimentos tão intensos não carecem delas. Um abraço!

AC disse...

Ingrid,
A procura é uma constante de nós.
A propósito desse tema, acabei de ler num blogue um poema de que gostei muito:
Procuro ínfimos símbolos,
qualquer prenúncio
no tempo,
também o universo conspira,
nenhum vento sopra
nuvens,
nem folha cai.
Busco
em epigramas escusos
ou em qualquer epígrafe
algum indício
nos poemas teus.
Olho
o fundo da xícara,
marca deixada
do café -
obscuro sinal
a dizer-me o que não sei
traduzir.


A autora é Marlene Edir Severino

Beijo :)

Borboleteando disse...

Oii Flor!!
Sempre perfeito...
Beijos

Pablo Rocha disse...

Viver é essa dança descompassada, maluca que não carece de sentido!

Aplausos sempre, Ingrid!

Bj!

ponto e virgula disse...

"a busca incessante...".

não é por aí que acontece o que tanto ansiamos.
a natureza do "ser" do "acontecer" é imprevista... mas saudável.




a...té

Meire Oliveira disse...

Minha lindeza, acho que vivemos constantemente nessa busca do querer e sentir, se quer saber na minha opinião não existem verbos mais deliciosos de se conjugar e de fazer nosso coração palpitar :)

beijos de carinho nessa bochecha linda que eu amo!!!

✿ chica disse...

Maravilhosa tua poesia, intensa quanto a imagem que a ilustra. beijos,chica

ॐ Shirley ॐ disse...

Às vezes, querida amiga, precisamos esquecer muitos fatos, para que possamos ser um pouco felizes. Lindo! Beijos!

Assis Freitas disse...

quanto mais canto, mais mudo a voz, alterco entre os sóis e os giros da noite incessante,


beijo

Ma Ferreira disse...

Oi Lindeza... to bem viu?
]Ja da pra comer aquela de carpaccio..rsrs

Esta coisa de sentimento acho que não carece de perguntas, porque não há respostas.

Encontros e desencontros...em lugares certos que se tornam incertos.

E ai vem o amigo tempo...e a inimiga distancia..ou vice versa...

A vida é assim? é!

Um beijo...te gosto muito....

Vivian disse...

...Ing querida,

saudades daqui...

perguntas são tantas,
mas só o sentir traz
as respostas.

bj, poeta linda!

Cidinha disse...

Olá, Ingrid. Perfeito! Belo seu poema. Bjos carinhosos e bom domingo!

Isa Lisboa disse...

Por vezes...para obter respostas...só precisamos deixar de as procurar... :)

Ma Ferreira disse...

Ingrid..eu falei pra Meire que queria ser linda como vc.
Jurorsrs

Vc é linda perfumada e escreve lindamnete.

Um beijo....

Evanir disse...

Pensei escrever palavras lindas
como forma de agradecer seu carinho comigo.
O quanto é importante para mim sua visita.
Já disse isso tantas vezes mais é inevitavel repetir.
desejo um lindo e abençoado final de semana.
Beijos no coração e na alma.
Evanir....

Severa Cabral(escritora) disse...

Minha querida!
Sempre vou voltar essa fita.Vc é uma amiga blogsfera muito amada e querida...sempre te faz presente no meu cantinho,e isso não tem preço...divino...sempre.Por isso quero renovar meu carinho por vc.
Seu poetar é inpecável...
bjssssssssssssssss

Jorge Pimenta disse...

quantas vezes temos de esquecer algumas coisas para aprendermos outras? assim é a vida, permanente renovação.

beijinho, querida amiga!

Maria Luisa Adães disse...

Nos perdemos no tempo...nos perdemos por tantas coisas e quando surge a morte, reparamos
que essas perdas não existiram e foram futeis em face da nossa forma minuscula de viver.

Tentemos não nos perder. Tentemos!

Mª. Luísa