terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Na luz me diluí.




Internet



Sigo em caminhos de luz - perco-me.
Deixo rastros de cores infinitas
percorro o amar sem fim...
Me atordoa - me perdoa...

Venho até mim
toco a alma - perdida...
Choro e clamo
persisto na dor de ser
de querer...

Revejo pecados - ao chão
marcados a sangue...
E mais uma vez choro
no eco do que já fui...

Ing
vídeo ofertado pelo querido AS

7 comentários:

A.S. disse...

É lindo!...!!!


Bjusss
AL

OceanoAzul.Sonhos disse...

Luzes du tempo... muito lindo!

bjs

Lindalva disse...

Bravissimo!!! Bom dia flor do dia. O Carnaval real passou, mas na Ilha só se encerra sábado (21/02) kkkkk, pois é no neste mundo irreal podemos fazer e acontecer e, como muitos haviam viajado ou estavam sem net a Sereia decidiu fazer esta surpresa para que a festa ficasse completa com todos os seus poucos, mas bons amigos. Beijos no coração – E VAMOS QUE VAMOS!
http://festa-na-ilha2.blogspot.com.br/p/blog-page_29.html

Nilson Barcelli disse...

Um poema bem nostálgico.
Mas excelente. Parabéns pelo talento que as tuas palavras revelam.
A música, muito boa, reforça o clima do poema.
Boa semana, minha querida amiga Ingrid.
Beijo.

Léia disse...

Lindo. Minha eterna e amada amiga. Bjs

Carmem Grinheiro disse...

Olá Ingrid,
A vida em memórias, nostalgia que se encontra neste poema.

bj amg

Maria Luisa Adães disse...

É tudo Imaginação
Ou é tudo Memória?

Não chores,
mas tuas palavras
pedem o derrame
de lágrimas tardias

Mas não ouças a voz
que fala em ti

E repara nos outros
que são como tu
e se calam

No silêncio de verdades
que não podem dizer!

Maria Luísa