sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

a menina sem rosa.


Internet


.." Para que tu me adivinhes,
entre os ventos taciturnos,
apago meus pensamentos,
ponho vestidos noturnos,
- que amargamente inventei"..
Cecília Meireles



Uma pequena trança segura por dedos longos brinca com a memória que teima em ser esquecida.
Abro as janelas para que o vento inunde  a alma trazendo muito mais que o desejo pode compor.
Quero a vida que a lembrança da inocência me deu e, para sempre correr..
Cabelos soltos, amores puros e inundados de poesia.
São sensações, que nada mostram e se consomem no ato de viver.

Lembro da pequenina de vestido rosa – nunca gostei de rosa – bordado e lindo.
Delicada, chorava pelo rosa e pelos babados.
Logo tudo se ajeitava e os laços de fita encantavam os cabelos.
Era tudo tão leve, tão quieto, e pleno de novidades. A timidez que brilhava não escondia uma vida a desabrochar e que era pura curiosidade.
Como era bom correr em algum lugar solitário. Era momento único e muito particular que parecia eternizar o sonho desperto .
Eram letras, pincéis e teclas,palavras, cores e sustenidos.
Piano, ópera, muita música pela casa..

Como as escolhas são inevitáveis, tropecei na idade, na decisão do momento, no arrependimento que fecha o olhar, no riso solto do amar, do primeiro amor.
E o sorriso que desabrochou tão cedo me acompanhou, me acalentou, me fez longe e amigável.
Busco ainda manter a alegria do laço,o choro do rosa,e a solidão preciosa que acalentava minha alma em turbilhão, descobrindo a vida de forma tão intensa.

Aquela menininha ainda me ama e eu a alimento , sempre...

Ing


 Este post é parte integrante do projeto Caderno de Notas - Segunda Edição,sob o tema "A Menina que um dia eu fui"... do qual participam as autoras Ana Claudia Marques    Luciana Nepomuceno  Lunna Guedes Tatiana Kielbermann 

12 comentários:

Rô... disse...

oi Ing,

eu também continuo alimentando a minha menininha todos os dias,
ela é pra mim um orgulho...

beijinhos

✿ chica disse...

Lindo,profundo e essa menina deve ser alimentada sempre....beijos,chica

Tatiana Kielberman disse...

Sei que já disse isso algumas vezes, mas preciso repetir: você escreve maravilhosamente poesia, mas os seus textos em prosa são um ARRASO!

Lindo... Emocionou e me fez chorar...

Amo e tenho orgulho desta menina que vive em você!

Beijo gigante!

Mariacininha disse...

Ah que doçura! Adorei Ingrid! que coisa boa a minha menina conhecer a sua. LINDO!

Mariacininha disse...

Ah que doçura! Adorei Ingrid! que coisa boa a minha menina conhecer a sua. LINDO!

Rita L.M. disse...

Uma prosa carregada lembranças e poesia. <3 Bjs

Bell disse...

linda participação.

bjokas =)

Lunna Guedes disse...

Ja li e (re)li o seu escrito e, confesso, ainda estou com as sensações se orientando em meu intimo como se fosse um desses albuns de fotografias que a gente vai virando a página e, aos poucos, vai reconhecendo ou dando pelos personagens que ali estão.

bacio

Sotnas disse...

Olá poetisa Ingrid, e que tudo esteja bem contigo!

Ler este teu belo e intenso escrito, me fez lembrar uma amiga de infância, me trouxe a lembrança da delicadeza com que ela me tratava e assim eu sempre procurei ser um amigo que ela sempre quis por perto, gostava muito de observá-la, a maneira como ela sempre dava um jeito nas situações do cotidiano, atitudes de criança, mas, com profundidade! Bons tempos.
É assim sempre que por cá venho, viajo para tão longe algumas vezes lendo os teus intensos escritos, e agradeço por compartilhar, e também pela amizade expressa em tuas visitas e comentários por lá!
E grato eu desejo que seja sempre tão intenso e feliz o teu viver, um grande abraço poetisa e, até mais!

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Que essa menina nunca adormeça dentro de ti. Um texto simplesmente MARAVILHOSO.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Assis Freitas disse...

belezura


beijo

Ana Carolina disse...

Um encanto!