sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

outras madrugadas.


Internet





"Pedacinhos de noite, polvilhados com as luzes do dia.
É a madrugada confusa.
Para alguns, tarde.
Para outros, muito cedo.
Opostos de vida".
Mel Fronkcoviak.


O que são madrugadas senão o quase despertar, o quase amanhecer..
Na noite, não sinto a mão que percorre o corpo, não sinto a pele que arrepia.
Não vejo a luz e a sombra, não vislumbro sequer o clarão do trovão.
Na escuridão desta noite somente pressinto..
Na escuridão desta noite, somente  o gemido..
O lençol frio, o vento que invade a cama sem cerimônia pela porta aberta.
Invade o corpo e a alma.
No peso do sono, que não vem, relevo o que nada me é dado, o que do nada me é tomado.

O que são as madrugadas senão o descansar do pensar, do sentir , do leve torpor da morte que vive em nós..
Na janela aberta o frescor da quase manhã me abraça, o silêncio da ausência me encanta.
Percorro o olhar desperto e atento ao redor, e vejo pontos de vida já cedo, já iluminados pela manhã que se aproxima..
O lençol frio, vai aquecer-se ao sol, a sombra dissipar-se-á rapidamente sem trovões, e a escuridão da noite vai levar com ela o gemido..


Quando a manhã chegar, a mão acostumou-se à pele, o sono passou ao largo..
O silêncio já ensurdece o pensamento, que gira e retoma o caminho da ausência.
E assim muitas manhãs, muitas madrugadas, se perpetuarão em tempo e emoções,que somente o sonho tem a audácia de desvendar...

Que venham...

Ing




Este post é parte integrante do projeto "Caderno de Notas" - Segunda Edição,sob o tema "quero outra manhã depois desta madrugada"... do qual participam as autoras Ana Claudia Marques,  Luciana Nepomuceno,  Lunna GuedesTatiana KielbermannThelma Ramalho e a convidada Mariana Gouveia


15 comentários:

✿ chica disse...

Que venham Ingrid! Teus textos lindo sempre,mais uma participação linda! bjs,chica

Lunna Guedes disse...

Você nos lembra das sombras que pesam na noite - há quem sinta medo. Do falso silêncio que existe do lado de fora da pele e dos barulhos que se somam do lado de dentro - tudo isso é anatomia irregular dos sentidos.
Você vai desenhando lentamente, com palavras, uma noite inteira que amanhece, nos devolvendo a "vida roubada" pela falta de tato dos olhos... Delicioso minha cara.
bacio

Rô... disse...

oi Ing,

que venham sempre,
a luz da lua,
a brisa da madrugada,
o coração pulsando,
o corpo ardente,
e a inspiração...

beijinhos

Tatiana Kielberman disse...

Lindíssima e intensa descrição da madrugada, querida...

Não poderia haver nada melhor!

Suas palavras engrandecem minha alma.

Um beijo carinhoso sempre!

jorge pimenta disse...

outras madrugadas, a palavra feminina, o segredo da hora, os lábios em voo... outras madrugadas: que venham - ainda que um reflexo das que as precederam.

beijinho, querida amiga!

Ani Braga disse...

Oi querida Ingrid


Mais um lindo poema.
Que venha.... Sempre.....

Beijos
Ani

Vieira Calado disse...

Isto, amiga, cada um tem a sua maneira de fazer as coisas.
A maior parte dos meus poemas nascem de madrugada, ainda ensonado...
Bjssss

Artes e escritas disse...

Lindo poema para as madrugadas de verão! Um abraço, Yayá.

Maria Rodrigues disse...

Que as madrugadas anunciem sempre doces amanheceres.
Belissmo!!!
Beijinhos
Maria

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

É nas madrugadas que nascem os mais belos poemas...e o teu texto tocou-me profundamente.


Um beijinho com carinho
Sonhadora

Assis Freitas disse...

tudo cabe na madrugada
na noite infindável




beijo

Maria Luisa Adães disse...

Quando a madrugada chegar
Eu estarei contigo
E te irei amar!...

Há quem repudie os sonhos
Há quem viva a sonhar!

Meus olhos fixam
E não choram

E à irrealidade
respondo com o sentimento
da sabedoria
Que está por detrás da Palavra!

E sabes do mais interessante?
Te fiquei a amar...
E agora que faço?

Sim que faço
Tento esquecer
ou continuo a viver?

Em teus olhos enevoados de lágrimas
Eu vi o arco-íris
com suas cores cintilantes!

Eu vi
e nada disse
e não podia dizer|

E tanto que senti
O silêncio
Das palavras
Que ficaram por dizer!

Saudades e obrigada
Pela tua presença querida
No momento da partida!

Maria Luísa



Maria Luísa

Maria Luisa Adães disse...

Escreve nas tuas madrugadas
a subtileza de uma noite sonhada
e nunca encontrada!

Escreve os beijos sem palavras

Escreve e conta aqueles que cheiram à maresia do mar

Lembra os beijos que trazem o paraíso
Inundados de ternura e amor

E bendiz esses beijos
Quando a floresta delira no seu cântico
E tu te perdes nas...

"Palavras e Caminhos"

Maria Luísa

Maria Luisa Adães disse...

Meu email, apenas meu e pelo qual eu respondo:

luisa_maldonado@sapo.pt

Me pode responder por email se assim o desejar.
Só eu tenho acesso ao email,
Ninguém mais!

Maria luísa

ॐ Shirley ॐ disse...

A madrugada é sempre conselheira e acolhedora.
Ingrid, beijos!