terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

te derramar.


Internet - desconheço autor

E para que tanto
querer
de onde vem tanto
desejo..
segurar
a vontade
sentir pele
calor ardente
revirar anseios
e sonhos
na busca de
que?..
viver noites
tua escuridão
envolvendo
calando
amando?..
e onde
o suspiro..
e caem
gemidos..
nada ouves!
nada vem
no socorro
no grito
intenso e
escorrido
como vinho
derramado..

Ing

18 comentários:

Poeta del Cielo disse...

quem nao sente nao ama... quem o calor do amor da pesoa amada nao sente nao ama.. tudo fica frio escorrido como vinho derrado....y entao pra que? hermoso poema amiga .. lindo o sentir...


bello
saludos
otima semana
abracos

LuH disse...

Amor é fogo que arde sem se ver...

ahh o amor!!

:)


Bjaum

Assis Freitas disse...

depende de onde o vinho escorre: derrama ou inflama


beijo

Arnoldo Pimentel disse...

Lindo poema sobre o sentir do amor, parabéns, gosto muito de te ler, beijos.

Valter Montani disse...

Olá Ingrid tudo bem?

Estive afastado das atividades do blog por motivos de força maior, mas não poderia deixar de passar aqui para agradecer por seu carinho, visita e comentário. Acredite, são essas atitudes dos amigos que me dão forças para continuar por aqui. bjs saúde e paz!

El Brujo disse...

O jogo de palavras é pra vc jogar perfume nelas...
Rock

Ingrid disse...

Poeta,
sempre amor.. infinito nas palavras.
beijo

Ingrid disse...

LuH,
as vezes arde e muito..
carinho..

Ingrid disse...

Perfeito Assis querido.. perfeito!
beijo.

Ingrid disse...

obrigada pelo carinho Arnoldo.
beijos.

Ingrid disse...

Valter,
bom te ver aqui e te ler lá no teu canto..
beijos.

Ingrid disse...

E que venham as festas perfumadas Rock..
beijo.

El Brujo disse...

As festas rolam em palavrasperfumadas e você vem fantasiada de que?

Ingrid disse...

vou pensar...

Jorge Pimenta disse...

o desejo vem justamente do vinho que derrama, não do que permanece a envelhecer, orgulhosamente, no casco.
beijinho!

Ingrid disse...

Jorge,
e assim nos derramamos..
beijos ..

El Brujo disse...

Já pensou, que tal?

La Luna Dirgni se perfumou pra festa com palavras soltas e uma fantasia de vento, em seda branca transparente, com um corte quase indecente no decote...
Quando entrou fez cerrar os dentes, franzir os olhos dos machos presentes, pisou na pista como a mais bela das prendas.
Levantou até o moral dos bêbados equilibristas quando pisou na pista, arqueou as ancas e caiu na dança, serpenteou pelos cantos, quebrando os quadris com encanto e levando os mascarados fantasiados a um êxtase nunca antes experimentado!
Curvas sedentas embebidas em suor que molha a seda alva, delineando mais a ventania da Luna, que em estado de graça geme a música pros incautos!

Não precisa salvar se não quiser... rs

Rock

Ingrid disse...

Rock Brujo,
tua iamginação voa longe..
a criatividade fertiliza-a..
gostei das imagens..
beijos querido..