terça-feira, 27 de maio de 2014

As mudanças que não vemos.





"Aquilo que te prende é exatamente o que te liberta"
Bert Hellinger


Mesmo no suor, secava seu coração. Uma melancolia desenfreada invadia a alma.
Lá estava um corpo, inerte, perdido em vãos desejos...
A sede permanece - estática e paralisante. Uma sede constante, intensa.
Quase desfalecendo... Pulsa em uma plenitude absurda - os poros vertem...
Eterna troca solitária.
Quiçá voltasse a ser o que era - alegria calma.
História breve que cheira a poeira...

Esconde um destino - obscuro - onde folhas sem vida recobrem um caminho sem medida.
Aquela imagem da ventania que molhava o beijo - hoje orvalho tão triste - finalmente te levaria, sem voz, sem tom, sem despertar...
E assim mudar, em horas sem fim, monótona e indecente. Sem verniz, carapaça - um olhar.
Não há disfarce nas mudanças do tempo - transparente e inquieto.
Ancora-se na miragem do fracasso. Mudança que outra vez, é incerta.
É devaneio.

Ing


Este post é parte integrante do projeto “caderno de notas – terceira edição” do qual participam as autoras Ana Claudia Marques, Lunna Guedes, Mariana Gouveia, Tatiana Kielberman, Tha Lopes e Thelma Ramalho.
http://www.pontocontos.blogspot.com.br/
http://catarinavoltouaescrever.wordpress.com/
http://marianameggouveia.wordpress.com/
http://marianameggouveia.wordpress.com/
http://thalopes.com/blog/
http://www.2edoissao5.blogspot.com.br/

10 comentários:

Rô... disse...

oi Ing querida,

as vezes prefiro não saber das mudanças que estão por vir...
só mesmo se depender de mim...
tão lindo!!!

beijinhos

*Jackie* disse...

Que mujer no se ha sentido asi? Muy lindo! Gracias por compartir.

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Um texto muito profundo e verdadeiro. Nunca sabemos o que a vida nos reserva.
Boa participação.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Ani Braga disse...

Se a sua segunda-feira foi maçante, a terça cansativa, a quarta superfrenética, a quinta cheia de espinhos e sua sexta está fritando sua paciência... Então eu desejo que você tenha um Sábado fantástico e um Domingo cheio de coisinhas gostosas!

Bom fim de semana!
Beijos
Ani

Cidinha disse...

Olá, Ingrid. As mudanças que não vemos muitas vezes refletem no nosso futuro. O texto é verdadeiro e profundo! Bjos perfumados e muito carinho para vc. feliz domingo e semana!

Nilson Barcelli disse...

Mesmo sem darmos por isso, há sempre muitas mudanças, em nós próprios e à nossa volta.
Magnífico poema, goste imenso.
Tem um bom resto de domingo e uma boa semana.
Beijo, querida amiga Ingrid.

Evanir disse...

Todos nós guardamos na lembrança
um momento bom com um amigo.
Na memória as lembranças daqueles
que souberam nos conquistar.
Não se trocam as amizades, conservam-se os amigos
para compartilhar as alegrias e possível tristezas .
Meu carinho e agradecimento .
uma abençoada semana beijos no coração.
Carinhosamente..Evanir..

jorge pimenta disse...

ah, este por vezes ter de morrer para apoder voltar a viver... e quanto se nos faz necessário interrogarmo-nos acerca da melancolia das mãos?

beijinho, querida ingrid!

Maria Luisa Adães disse...

Ing

Difícil para mim o que escreves, mas
muito bela essa forma de escrever!

Gosto dos cambiantes misteriosos de tua personalidade.

De te conhecer e saber, ou tentar saber, quem na realidade és!

Mas lendo o que escreves
me fascinas e me prendes
ao teu dizer

E nada mais quero
E nada mais peço!

Maria Luísa

Lorena Leitte disse...

Me identifiquei muito!
Lindo de verdade