sexta-feira, 10 de setembro de 2010

infinito.



Sinto ..

sobe na pele pela pele!..

aperta e aquece..

me leva longe..


ao Infinito.


Sinto o torpor..

quando teus dedos ávidos

chegam a raiz dos cabelos..


Sinto o corpo tremer

no calor das tuas mãos..

e os olhos se fecham

quando os cabelos guiam!..


Infinito.



Teus dedos brincam..

no apertar e puxar

teu desejo dói!..



E me leva ..

distante de tudo..

somente por sentir..

por ter e ser!..



meu Infinito!..


Ing

6 comentários:

Fátima disse...

Ui..rs Que lindo!!

O desejo descrito de forma sutil e provocante.

Beijos meu

Ingrid disse...

e que deesejo ... ;-)
beijosss..

Assis Freitas disse...

dádiva dos sentidos, todos

beijo

Maria Luisa Adães disse...

Ing

Gostei de a encontrar no meu poema "Esquecida"
e com sua presença e mais presenças, me sinto "Menos esquecida!...

Gostei do seu "Infinito",
da sua forma de sentir
e de dizer esse Infinito
dos dedos ávidos,
na procura de seus dedos

E é no Infinito
que tudo vai acontecer!

"Eu também amo Salvador Dalí"

Mas não deixou sua foto no meu blogs, ou deixou?

Obrigada,

Mª. Luísa

Ingrid disse...

um prazer grande te-los aqui em meu canto.
Origada pelo carinho.

Ingrid disse...

na verdade a minha foto está no meu perfil, não sei porque não aparece ..