quinta-feira, 11 de agosto de 2011

labirinto.

Salvador Dali - "O Labirinto"

Abre-me o coração onde rasgo minha vontade
em caminhos de tortura que brota na alma..
Se eu encontrasse o sonho que me perdeu
nesta tarde fria e sombria
onde há sempre o vento que sopra
levando a sensação de amor..

Os lábios se contraem em dor
emoldurando a melodia que emudece
sem memória ou carícia..
Calada, nem sinto medo..
Nos olhos levo a visão do novo,
da alegria do amanhecer
da lágrima sem consolo..

Momentos de paixão engolida
sobras de sentimentos sem sal..
Labirinto dentro do corpo 
que encontra saída na ferida
que sangra águas perdidas..

Ing

32 comentários:

MENSAGENS AO VENTO disse...

_____________________________


...belos e tristes são os seus versos, Ingrid...


Beijos de luz e o meu carinho!!!

Zélia (Mundo Azul)

_______________________________

FLOR DO LÁCIO disse...

Quantas águas perdidas verteram o coração à procura de um amor verdadeiro neste labirinto da vida.
Lindo poema. Parabéns minha amiga!

Cristina disse...

E quantas vezes sangram as feridas da alma ..perdemos a conta.
Lindo lindo seu poema.
Bjss

cidinha disse...

Olá, Ingrid... Lindo, profundo e melancólico! Gosto de passar por aqui. Bela melodia! Obrigada amiga pelo seu carinho sempre. Deixo um grande abraço e bjos com carinho perfumados para vc!!

Artes e escritas disse...

Um poema exato para a pintura de Dali. Um abraço, Yayá.

Letícia disse...

Perder-se é (re)encontrar-se...


Beijos! =)

blog da Paraguassu disse...

Querida Ingrid,
Gostei de seu poema, embora me parecesse triste, com uma certa dose de melancolia.
Mas também traz a certeza do reencontro que se dá, após a perda de algo ou alguém.
Gostei muito, mesmo.
Um grande beijo,
Maria Paraguassu.

♥♥♥Ani♥♥♥ - Cristal disse...

Oi querida Ingrid

Lindo, lindo teu poema, como tudo que você escreve. Parece que mais uma vez foi feito pra mim.

Desculpe a ausência, ando meio desligada ultimamente, muita coisa acontecendo, lembranças tristes me visitaram essa semana, então prefiro ficar mais quietinha.

Mas estou sempre aqui.

Beijos
Ani

Antônio Lídio Gomes disse...

Palavras de pura melancolia.
Mas que externam amor puro.
Bjs.

Borboleteando disse...

Oi, querida! Tem um selinho bem fofo para você em meu blog:

Assis Freitas disse...

esse labirinto tecido nos fios de ariadne,


beijo

Van disse...

Amei!

Me empresta Ingrid?

Posso posta-lo? Com todos os créditos, claro.

Um beijo!

Rosi Alves... disse...

Lindo!

ॐ Shirley ॐ disse...

Querida Ingrid, como voce disse nesse lindo poema, sempre há uma saída...Beijo iluminado!

Will disse...

Boa tarde! Ing.

Chega uma hora em que as cortinas se fecham. É quando sozinhos no palco, os aplausos se tornaram ecos do passado, esperando o recomçar de um novo espetáculo chamado amor, para voltar a soar.

Ótima sexta-feira para você!

Sonhadora disse...

Minha querida

Quantas vezes engolimos as lágrimas e amordaçamos o sentimento.
Como sempre adoro ler-te, os teus poemas são maravilhosos.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

Lena disse...

Ingrid,
Aff!!! Superação total!Demais, minha linda amiga.
Cara, como é que um ser humano normal consegue escrever isso: "Momentos de paixão engolida
sobras de sentimentos sem sal..
Labirinto dentro do corpo
que encontra saída na ferida
que sangra águas perdidas..."
Normal, não dá conta. Só gênio. No caso, gênia, talentosa Ingrid, com sensibilidade pra dar e vender. Bjkas com super ternura e afeto!!!

Bela disse...

Ingrid, que lindo poema! Você deu novos sentidos a expressões que usamos normalmente sem nem dar muito valor. Ficou lindo demais!
Beijos,
Bela.

Meire disse...

Ingrid querida do meu core, lindas palavras, e quando nos perdemos nesse labirinto ficamos um tempão pra sair dele.

Lindo findi pra ti, bjokitas com carinho!! ;)

Dani Gomes disse...

Olá Ingrid,

Lindo, forte e dolorido. Como só o amor pode ser...

Grande beijo para ti,

http://omundoparachamardemeu.blogspot.com/

Ma Ferreira disse...

Ing..vim sentir seu cheiro!!!

Um poema praser belo tem que tocar o coração.

O seu tocou o meu...mesmo que triste;
O importante é tocar..refletir..sentir..

Bj com carinho..MA

ONG ALERTA disse...

Caminhos a serem percorridos, beijo Lisette.

Ivana disse...

Ingrid,
Muita sensibilidade nesse lindo poema. Um abraço e um ótimo domingo dos pais.

Maria Marluce disse...

Bela imagem, lindíssimo poema. Grata pela visita e bom fim de semana.

Maria Luisa Adães disse...

"Se eu encontra-se o sonho que me perdeu" que faria eu?

Talvez continuasse esperando que o sonho se voltasse e reparasse em mim. Talvez continuasse a perder meu tempo, na espera da renovação do tempo. Talvez...

Lindo poema sentido e amado.

Um beijo,

Mª. Luísa

Valquíria disse...

Lindo e como entendi teu sentir. Mas alegra-te as águas lavam, e renovam as alegrias... beijinho no teu doce coração.

Evanir disse...

Muitas Vezes Deus Tira Alguem Que
Amamos Tanto.
Mais Esse Mesmo Deus Traz Alguem
Que Aprendemos Amar..
Por Isso NÃo Devemos Chorar
Pelo Que Nos Foi Tirado
E Sim ..Aprender A Amar O
QUE Nos Foi Dado ..
Nada Que È Nosso Vai Embora Para Sempre.
A Você Com Muito carinho um
feliz Domingo (DIA DOS PAIS)
Beijos No Coração.
Evanir

Severa Cabral(escritora) disse...

Bom alvorecer!
Reflexição para o dia de hj...
Deus é Pai (Poema)
Composição: Fábio de Melo

Quando o sol ainda não havia cessado seu brilho,
Quando a tarde engolia aos poucos
As cores do dia e despejava sobre a terra
Os primeiros retalhos de sombra
Eu vi que Deus veio assentar-se
Perto do fogão de lenha da minha casa
Chegou sem alarde, retirou o chapéu da cabeça
E buscou um copo de água no pote de barro
Que ficava num lugar de sombra constante.
Ele tinha feições de homem feliz, realizado
Parecia imerso na alegria que é própria
De quem cumpriu a sina do dia e que agora
Recolhe a alegria cotidiana que lhe cabe.
Eu o olhava e pensava:
Como é bom ter Deus dentro de casa!
Como é bom viver essa hora da vida
Em que tenho direito de ter um Deus só pra mim.
Cair nos seus braços, bagunçar-lhe os cabelos,
Puxar a caneta do seu bolso
E pedir que ele desenhasse um relógio
Bem bonito no meu braço
Mas aquele homem não era Deus,
Aquele homem era meu pai
E foi assim que eu descobri
Que meu pai com o seu jeito finito de ser Deus
Revela-me Deus com seu
Jeito infinito de ser homem.
Bjssssssssssssssssssssssss

Francy´s Oliva disse...

Intenso...Muito intenso.
Beijos
PS. pensar que dentro de cada um de nós há um labirinto.

Maria disse...

Ingrid quantas vezes a nostálgia contida neste lindissimo poema toca a nossa alma.
Bom domingo
Beijinhos
MAria

N. Barcelli disse...

Excelente poema. Muito sofrido...
Querida amiga Ingrid, tem um bom resto de Domingo e boa semana.
Beijo.

Jorge Pimenta disse...

o labirinto não existe como metáfora do medo; é antes a certeza de todas as chegadas a [quase] todos os lugares.
haverá ser mais homem do que isso mesmo?
beijinho, querida ingrid!