sábado, 20 de agosto de 2011

despertar.

Salvador  Dali


Quando despertei era sonho
em noite imensa e quente
os lábios trêmulos e úmidos..

Quando despertei era deserto
evocando carícias e aromas
na ilusão do ainda e do sempre..

Sendo fantasia sorri
na mão que irá me tocar
na melodia do espírito..

Teu corpo caído me segue
sem o riso de primaveras
passadas e cantadas..

Olho para mim e entonteço
meus pés me levam sem pressa
pela ilusão que se desfaz..

Amar-te por toda a vida
em raros versos de dor
foram caminhos passados..

Ing


23 comentários:

Ma Ferreira disse...

As vezes temos que deixar o velho ir..para que o novo ocupe o seu lugar..lindo seu poema..parabéns Vi,

Bj

AC disse...

Ingrid,
Regressado de férias, não podia deixar de vir mergulhar na sua sensibilidade muito própria.

Beijo :)

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Em raros versos de dor, despertar...

Abraço dos (m)ares e montanhas de Minas,
Pedro Ramúcio.

Lena disse...

Ingrid
Estou com a Ma... Nessas horas é que o "velho" cede lugar para o "novo". E renovação, embora impregnada de desafios, que nos permitem sentir muitos medos, é a melhor coisa da vida. Sugere movimento, dinâmica, enfim, uma vida nova com todas as expectativas retomadas. Bjkas doces em seu coração! Parabéns por mais um belo poema!

Evanir disse...

Carinhosamente desejo a você
um feliz final de semana.
Creia você é muito importante para mim
e lembre sempre.
Deus não é nada do que você
possa imaginar,ele é tudo que
você pode amar sem medo.
Bjs no seu coração,Evanir.

A.S. disse...

Ingrid,

O pó do passado não pode impedir a nitidez do futuro!


Beijos meus,
AL

Andre Martin disse...

Lendo, em pensamento lento.
Sonho ou deserto, que seja o mais leve despertar.
Cantadas, caminhas, passou.
O que sobra são apenas as sobras e penas de nós em nós desatados e desnudados.

Rid

Maria Luisa Adães disse...

Ingrid

Talvez tenhas de inventar
teu amor,
feito à medida de teus anseios.

Talvez tenhas de voltar a amar
a abolir os medos
as lembranças menos boas.

Talvez tenhas de olhar outro lugar
esquecer o primeiro e o último
e encontrar, um novo lugar
doce, sonhador e prenhe de amor.

Lindos teus versos!

Maria luísa

Célia Gil, narciso silvestre disse...

Lindo o seu poema! Bjs

Bruno Gaspari disse...

Belas palavras, lindo poema! Parabéns! Beijos

Bruno;)

Van disse...

È preciso morrer um pouquinho pra nascer um tantão.

Permito sim querida, você pode tudo, leve o que quiser.

Beijos carinhosos!

Sotnas disse...

Olá poetisa Ingrid, que tudo permaneça bem contigo!

Deixar de sofrer com sonhos do passado pode ser um sinal de amadurecimento, creio até que talvez seja um enorme crescimento como ser que se respeita e que pretende viver com plenitude a vida que tem pela frente.

Tirando minhas suposições, é sempre um encantado prazer estar por aqui e ler teus tão expressivos poemas!

E já que por cá estou, agradeço sempre por tua amizade e gentis e carinhosas visitas por lá, deixando por cá um enorme abraço e um maior desejo que você e todos ao redor tenham intenso e feliz viver, e, até mais!

Lúcia Soares disse...

olá vim visitar seu cantinho e achei lindo, tenha uma bela noite na presença de Deus. bjs

ONG ALERTA disse...

Amar até o infinito, beijo Lisette.

BLOG DE POESIAS DO PROFEX disse...

Fazia tempo que não trocávamos comentários. Estive sumido e você também. Desculpe.
Mas, voltando ao texto: ao despertar vemos coisas que não vimos antes. Vemos com um novo olhar. E assim deve ser...
Grande abraço!

Dani Gomes disse...

Olá Ingride,

Lindo ver passado e presente de um sentimento unidos num só poema...

Grande beijo para ti,

http://omundoparachamardemeu.blogspot.com/

Assis Freitas disse...

desperto como no sonho em que adormece,


beijo

Bemsei disse...

Quero agradecer as tuas palavras sempre tão encorajadoras em meu blog.
Essa poesia é encantadora: o poder da ilusão, da fantasia...são imenso e são, por vezes a "mola" que nos faz prosseguir a jornada.
Beijos mil

José Sousa disse...

Olá quqerida amiga Ingrid.
Muito lindo este teu poema, como sempre.
Desculpa só hoje, mas é que o trabalho não me dá tempo para blogar.

Um abraço com um beijinho e bom Domingo.

Meire disse...

Ingrid querida, ilusões disfeitas é hora de tirar as lições e seguir em frente para concluir sonhos :)

bjokitas com mega carinho!

Will disse...

Tu revelas um querer distante e ao mesmo tempo tão próximo, já que as entrelinhas de cada verso há um desejo sendo desvendado, revelado, com sensibilidade inigualável.
Parabéns!

Dayse Sene disse...

Bom que nossa dor seja sonho...bom que nossas fantasias sejam versos , de um poema, quando ele quer sentir dor.
Pois real, tem que ser alegria,
real tem que ser saúde e amor.
Uma linda noite.
Um abraço amigo.

Jorge Pimenta disse...

em cada despertar, um novo amanhecer, mesmo que algures na titubiância que percorre os passos perdidos e os por-concretizar.