domingo, 12 de dezembro de 2010

de onde vens.

Desnuda em um sofá - Richard Merchan
Sigo pelo meu mundo
tropeçando em teus caminhos
que teimam em me manter
e me guiar..

Só não sinto o teu perfume
não vejo teu olhar
o calor do teu corpo
a tua mão na minha..

Sonhos agitam noites eternas
águas escorrem de rios
levam pensamentos
saciam desejos..

E onde te encontro..
de onde vens a me torturar
a mão que sinto a me tocar..
mas nunca me levar..

Ing

16 comentários:

....uma casa cor de rosa disse...

Oi Ingrid

Seus poemas são como um carinho...

bjus ^.^

Ingrid disse...

Ro querida!
Que bom te ver por aqui,,
tosempre lá dando uma olhadinha..
beijos..

Eduarda disse...

Ingrid,

Tocaram-me cada palavra.

Do profundo um vale de emoções.

bj

P.s.

Passa no meu blog. Tens tens lá uns selos que te ofereço.

bj

Ingrid disse...

Obrigada Eduarda pela visita e carinho.
Passo sim.
Beijo.

•!¦[•M.B.•]¦!• disse...

Ola minha amada amiga!!!! como adoro vir até aqui e viajar nos seus versos... belíssimos, criados com pureza de "criança". Não sei como agradecer suas visitas e carinhos deixados no CLIP e Adiemus. Parece que sem você por lá, os versos perdem a magia!!!!
Estou levando mais um "filhote" seu para passear no CLIP.
beijos
Tenha um Natal de muita Paz.
Mara Bombo

Ingrid disse...

Mara amada,
obrigada pelo carinho de sempre..
Lamentei tanto não estar presente a confraternização.. estava linda!
beijos no teu coração.

Shirley disse...

Seus versos de amor, atingem com destreza o fundo da alma...Ingrid,um beijo de luz!

Ingrid disse...

Shirley,
amo tanto..
beijos querida.

Vanessa Souza Moraes disse...

Se tocou já valeu. Não?

Ingrid disse...

E se não toca Vanessa?... ;-)
beijo.

Jorge Pimenta disse...

tantas vezes é assim o amor, querida ingrid. vive à tangente do corpo, à esquina do desejo, de costas voltadas para a plenitude. e enquanto isso, sobram apenas vultos e espectros de contornos indefinidos...
um abraço!

Ingrid disse...

Jorge,
e a plenitude quando alcançada.. nos leva longe!
beijo.

Shirley disse...

Que delícia vir aqui e sentir esses versos sutis penetrando os poros e provocando uma saudade não sei bem do que...

Ingrid disse...

Shirley,
muitos beijos no seu coração.

Insana disse...

Uma alma sofrida.. de um amor nao amado, nao vivido, é a eterna saudade daquilo que não teve.

bjs
Insana

Ingrid disse...

o pior é ter não viver querida Insana..
beijo.