sábado, 22 de janeiro de 2011

mínimo querer.


Internet

Quando tu me arrastas
e me levas onde nunca estive
sensações estranhas
assaltam a pele
entranham a alma..

Quando me sinto solta
tão leve que nem me vejo
queria tua mão forte
e me puxar pra perto
a me trazer de volta..

Quando me volto
e nada vejo
queria teu olhar
a me guiar
a me aquecer..

Mas hoje só sinto
perfumes de escuridão..

E, a vagar pelo desejo
me deixo cair
após o inverno
de meu corpo..

Ing

13 comentários:

Juci Barros disse...

Hoje tuas palavras falaram por mim...

Beijos.

Ingrid disse...

Juci,
leve minhas palavras contigo..
beijos carinhosos..

Shirley disse...

Querida Ingrid, suas palavras brotam com facilidade e traduzem tão bem o que sentimos...
Beijo de luz!

Natasha Baroli disse...

lindo o texto ingrid...

tenha um otimo fds.

bjos

Assis Freitas disse...

perfumes de escuridão tem aroma de quê?


beijo

Vanessa Souza Moraes disse...

O desejo desnorteia.

http://vemcaluisa.blogspot.com/

Ingrid disse...

Shirley,
sentimentos simples..
beijos.

Ingrid disse...

Linda Natasha,
beijos e bom domingo..

Ingrid disse...

Assis,
tem um aroma seco e perene..
beijo querido..

Ingrid disse...

E como Vanessa...
teu blog sempre cativante.. Parabéns viu!
beijos.

Jorge Pimenta disse...

ingrid,
impressionante a última estrofe. a imagem do inverno do corpo que atrofia no espelho imperfeito do desejo vale todo um poema.
beijos e um óptimo domingo!

Ingrid disse...

Jorge,
e por vezes é assim.. mas logo vem a primavera..
beijos ..

El Brujo disse...

Foram pra te provocar os sonhos!