quinta-feira, 18 de novembro de 2010

para correr e voar.

                                                           Chagall - Internet               

O silencio que se faz
onde o olhar se fecha
a razão se perde..

pensamentos impossíveis!

mente vazia
abraço que não aperta
turbilhão que borbulha..

loucuras silenciosas!

cicatrizes ideléveis
pulsando palpáveis
em desabrochar volúvel..

vertigens molhadas!

Ing

13 comentários:

Cristiane disse...

Prefiro nem comentar diante de tamanha sensibilidade e prazer! Bjks

Ingrid disse...

Linda Cris!
beijinhos..

mARa disse...

vertigem molhada, linda construção...
e é no silencio da solidão que escrevemos e sentimos a poesia.

bjo!

gostei e voltarei.

Jorge Pimenta disse...

entre a razão e a loucura, apenas a vertigem. umas vezes, esventrada às mãos da frieza intelectual; outras, selvagem, rendida ao cântico da emoção.
e saber gerir tudo isto???
um beijinho, ingrid querida!

Ingrid disse...

mARa,
obrigada pela visita e palavras..
beijo.

Ingrid disse...

Jorge,
Quem sabe no saber gerir está a graça da vida!..
beijos querido poeta!

Assis Freitas disse...

pra correr, voar e levitar


beijo

Cristiane disse...

Tem um selinho pra vc lá no meu Blog.Espero que gostes tanto quanto eu gosto de vir aqui! Bjs

A.S. disse...

Ingrid,

Belo e sensual o teu poema!
Adorei a composição poética...

Beijos,
AL

Ingrid disse...

É isso Assis !..
grande beijo.

Mundo da Lili disse...

Muito lindo! Nem vou acrescentar pra não estragar...rsrsrs]
Bjao

Ingrid disse...

Obrigada Cris! Claro que vou amar..
beijosss

Ingrid disse...

Obrigada pela visita e pelas palavras..
teu blog é fantástico!..
beijo.